Especialistas debatem em Blumenau o teatro voltado para crianças e jovens

 

Danilo Sérgio / Divulgação

Danilo Sérgio / Divulgação

O Instituto de Artes Integradas (Inarti) e a Fundação Cultural de Blumenau promovem, de 4 a 12 de novembro, o 20º Festival Nacional de Teatro Infantil de Blumenau (Fenatib). Paralelo ao evento, também ocorre o 1º Seminário Nacional de Estudos sobre Teatro para Crianças e Jovens. As inscrições podem ser feitas gratuitamente pelo site http://fenatib.com.br.

Para a 20ª edição do Fenatib foram selecionadas oito peças produzidas por companhias com sedes nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Distrito Federal, além de 10 grupos suplentes. As atrações serão apresentadas no Teatro Carlos Gomes, escolas e palcos alternativos nos espaços públicos da cidade. Os ingressos são limitados, e devem ser retirados 30 minutos antes de cada seção. A entrada é franca.

O evento tem a finalidade de difundir o teatro nacional, promover intercâmbio entre artistas e o público, levar espetáculos às escolas, praças e salas de teatro. O festival atinge cerca de 10 mil crianças a cada edição, além de contribuir para a formação de plateia e o gosto pelo teatro. Paralelamente, são promovidos debates sobre os espetáculos apresentados, palestras e oficinas.

O festival é uma mostra não competitiva, aberta à participação de grupos teatrais de todo o Brasil e da América do Sul, amadores ou profissionais, que são selecionados por uma comissão indicada pela organização do evento. O evento compreenderá as seguintes atividades: apresentações dos espetáculos selecionados, debates, oficinas de teatro, palestras e apresentações em espaços alternativos: Espaço Elfy Eggert (FCBlu), praças, escolas e clubes de serviços.

Diego Bresani / Divulgação

Diego Bresani / Divulgação

Saiba mais

 

20º Festival Nacional de Teatro Infantil de Blumenau (Fenatib)

Período: 4 a 12 de novembro

Entrada Gratuita

Ingressos: limitados – retirada 30 minutos antes do início de cada espetáculo na secretaria do evento

Acompanhe as notícias e a programação no site: http://fenatib.com.br.

 

1º Seminário Nacional de Estudos sobre Teatro para Crianças e Jovens

Tema geral: O Teatro e a Criança

Data: 4 a 6 de novembro

 

Dia 4 (sexta-feira)

9h15: abertura do seminário

9h30: tema – O Teatro e a Criança. O teatro para a Infância e Juventude no Brasil – contextos e desafios – Humberto Braga – presidente da Funarte (RJ)

Palestrante: Humberto Braga – Formação em Teatro na instituição de ensino Escola de Teatro Martins Penna, diretor de produção teatral, ingressou no Serviço público em 1968. Ligado ao teatro, Humberto Braga já foi diretor do Departamento de Artes Cênicas na Fundação Nacional de Artes e ex-secretário do Ministério da Cultura. Participou de estudos e avaliação de normas para o Programa Nacional de bandas de músicas e do Programa Nacional às Orquestras Sinfônicas do país. Também integrou o projeto Encena Brasil, que viabiliza a circulação de espetáculos teatrais. Atualmente é o presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte)

10h15: debate

10h30: intervalo

11h: Tema – Os defeitos e acertos mais comuns nas peças de censura livre – Dib Carneiro Neto – Crítico de Teatro (SP)

Palestrante: Dib Carneiro Neto, natural de São José do Rio Preto, é jornalista radicado em São Paulo desde 1979. Formou-se pela Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP), em 1982. Foi editor-chefe do Caderno 2 do Jornal O Estado de S.Paulo, função que exerceu por oito anos, até fevereiro de 2011. Trabalhou no Estadão por 19 anos seguidos e, antes, atuou na Revista Veja São Paulo por quatro anos. É hoje um dos mais ativos críticos de teatro infanto-juvenil do país, função que exerce desde o início dos anos 1990. Atualmente, mantém uma coluna semanal virtual de críticas de teatro infantil no site da Revista Crescer, da Editora Globo, e é o criador e editor-chefe do portal de notícias sobre teatro infantil chamado Pecinha é a Vovozinha! Como dramaturgo, ganhou o Prêmio Shell de melhor autor em 2008, por Salmo 91, espetáculo para adultos baseado no livro Estação Carandiru, de Drauzio Varella

11h45: Debate da palestra

Mediação dos debates: professor Lauro Góes – Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ.

Antônio Lauro de Oliveira Góes – Bacharel e licenciatura em Letras Português-Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1971); mestrado em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1983); e doutorado em Letras (Teoria da Literatura) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1993). Atualmente é Professor Associado II da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria da Literatura, atuando, principalmente, nos seguintes temas: artes cênicas, dramaturgia, cultura e literatura brasileiras

12h: Lançamento da Revista do Fenatib

A Revista de nº11 do 20º Fenatib, é o resultado da participação dos convidados palestrantes que, com seus artigos e palestras engrandecem a 20ª edição do evento.

 

Dia 5 (sábado)

9h: Tema – Será que é bom elas ouvirem falar dessas coisas tão complicadas? – Professor Miguel Vellinho – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – Unirio

Palestrante: Miguel Vellinho – Doutorando e Mestre em Teatro pelo Programa de Pós-Graduação em Teatro (PPGT) da Unirio e professor adjunto do curso de Ensino de Teatro da Unirio onde leciona as cadeiras de Teatro Infanto-juvenil (TIJ) e Teatro de Formas Animadas (TFA). Diretor e autor teatral, fundou o Grupo Sobrevento, hoje sediado em São Paulo. Criou a Cia. PeQuod, onde atua como diretor artístico e que conta hoje com um repertório sólido de 11 espetáculos premiados e elogiados pela crítica. Tem artigos publicados no Brasil e no Exterior sobre aspectos do Teatro de Animação e do Teatro para a infância e juventude e é membro do conselho editorial da revista Móin-móin, editada pela Udesc, desde a sua criação. Como diretor, foi indicado ao Prêmio Shell de Teatro pelos espetáculos Peer Gynt e Marina. Foi vencedor do Prêmio Zilka Salaberry de Teatro Infantil em 2011 na categoria Melhor Direção pelo espetáculo Marina, a sereiazinha. Em 2014 ganhou ainda o Prêmio São Paulo de Incentivo ao teatro infantil e jovem como Melhor Autor de Texto Original por Intolerância, criado para o Projeto Buzum. Em 2016, foi novamente recebeu o Prêmio Zilka Salaberry de Teatro Infantil pela direção do espetáculo A feira de maravilhas do fantástico Barão de Münchausen.

9h45: Debate da palestra

10h15: Intervalo

10h30: Tema – Teatro-Educação: abordagens teóricas e possibilidades práticas – Professora Heloise Baurich Vidor- Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc)

Palestrante: Heloise Baurich Vidor é atriz e professora de Teatro. Possui Doutorado pela USP (2015) na área de Pedagogia do Teatro e Teatro Educação. Atualmente é professora efetiva do Departamento de Artes Cênicas da Universidade do Estado de Santa Catarina, na área de formação de professores, professora permanente do Mestrado Profissional em Artes (Profartes) e do Programa de Pós-Graduação em Teatro (PPGT), da mesma universidade. Tem experiência na área de Interpretação e direção teatral. Sua pesquisa atual, intitulada Teatro, Leitura, Literatura e Educação: encontros com o texto associa o campo da leitura ao do teatro, propondo experimentações em torno de textos literários, leitura em performance e procedimentos lúdicos teatrais, com crianças, jovens e adultos, no contexto de ensino formal e informal. É autora dos livros Drama e Teatralidade: o ensino do teatro na escola (2010) e Leitura e Teatro: aproximação e apropriação do texto literário (2016)

11h15: Debate

Mediação dos debates: Maria Helena Kühner é autora teatral, ensaísta, contista, pesquisadora, tradutora. Tem 32 livros publicados, 28 prêmios em Literatura e Teatro, e mais de 300 artigos e ensaios em jornais e revistas especializados. Foi diretora ou assessora de diferentes órgãos de cultura, federais, estaduais e municipais (SNT-MinC, TV-Educativa, Fundação Rio etc.). Foi ou ainda é consultora de diferentes universidades do Exterior (Califórnia, Cincinatti, Duke, Roma, Viena, Buenos Aires) e de entidades do RJ (Seac/MinC, Mobral Cultural, Funterj, Funarte, Secretaria Estadual de Cultura, Secretaria de Educação,  TV Globo (Globotec e GNT). Criou e coordena o Projeto Anna Magnani, que já desenvolveu 46 atividades ligadas à discussão de temas atuais e a uma visão da sociedade pelo ângulo da mulher. No momento, seus musicais “João do Vale, o Poeta do Povo” e “Zé Kéti, eu sou o samba” estão em cartaz no RJ, desde 2011, em bem sucedidas temporadas na Academia Brasileira de Letras, Sesc-Tijuca, Sala Baden Powell, Festivais de Teatro do Sesc-Rio, Teatro Rival, circuito Sesi no interior do Estado, e com temporadas previstas para outros estados e para Portugal. É membro de entidades culturais, entre as quais a União Brasileira de Escritores (UBE) e o Pen Club do Brasil. Tem o nome seguidamente ligado a seminários, festivais, encontros, júris, mostras, debates em todo o Brasil e no Exterior (USA, Cuba, México, Itália, Alemanha, Portugal, Chile, Peru, Bolívia, etc)

 

Dia 6 (domingo)

9h: Palestra – Teatro para crianças e adolescentes: a influência da internet, televisão e cinema na produção atual – Professora Mariana Lima Muniz – Universidade Federal de Minas Gerais

Palestrante: Mariana Muniz é professora titular do Departamento de Fotografia, Teatro e Cinema, atuando na Pós-graduação em Artes e Curso de Graduação em Teatro da EBA/UFMG. Autora do livro Improvisação como espetáculo: metodologias de treinamento do ator-improvisador publicado pela Editora UFMG. Doutora em História, Teoria e Prática do Teatro pela Universidad de Alcalá (Espanha). Formada em Interpretação Gestual – Real Escuela Superior de Arte Dramático de Madrid (2005). Líder do grupo de pesquisa do Laboratório de Dramaturgia da Improvisação (Ladi). Tem experiência na área do teatro, atuando principalmente nos seguintes temas: improvisação e dramaturgia, relação ator-público, relação teatro e Internet no teatro contemporâneo e no ensino de teatro. Foi curadora do Festival de Inverno da UFMG de 2006 a 2009. Trabalhou como diretora ou atriz com coletivos, entre eles: Uma Companhia, Jogando no Quintal, Cia. Bárbara, Galpão Cine-Horto e Impromadrid. Atualmente trabalha como atriz convidada do espetáculo “Tio Vânia – aos que virão depois de nós”, do Grupo Galpão, com direção de Yara de Novaes. Foi criadora e é curadora do Festival Internacional de Improvisação (Fimpro).

9h45: Debate da palestra

10h15: Intervalo

10h30: Tema – “Perspectivas do Teatro Infantil de um mundo em mudança” – Maria Helena Kuhner – CBTIJ – Rio de Janeiro

Palestrante – Maria Helena Kühner

11h15: Debate

Mediação dos debates: professor Valmor Níni Beltrame – Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Valmor Níni Beltrame  é diretor teatral, bonequeiro, professor e pesquisador na área do teatro. Suas pesquisas se concentram em temas sobre Teatro de Bonecos, Teatro de Sombras, Teatro de Máscaras, o que hoje se denomina Teatro de Animação ou Teatro de Formas Animadas. É o editor da Móin-Móin – Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, publicação conjunta da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e Sociedade Cultura Artística de Jaraguá do Sul (SCAR). Atuou como professor de teatro na Udesc no período entre 1988 a 2016. Formado em Filosofia pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), fez especialização em Teatro de Sombras no Institut International de la Marionnette, na França, em 1982. É Mestre e Doutor em Teatro pela Universidade de São Paulo (USP).

 

 

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello