Grupo A Crista vence a Mostra Regional


Rosas Vs Cravos foi considerado o melhor espetáculo da primeira edição do concurso promovido pelo Fenatib.

Marcelo Martins / Fenatib

Rosas Vs Cravos, com Grupo A Crista, foi considerado o melhor espetáculo da Mostra Regional de Teatro para Crianças e Jovens. A escolha dos destaques regionais foi a novidade deste ano do 22º Festival Nacional de Teatro para Crianças e Jovens de Blumenau (Fenatib). As premiações foram entregues na noite de quinta-feira, dia 9 de maio, no Teatro Carlos Gomes.

A premiação foi entregue pela coordenadora do Fenatib e presidente do Instituto de Artes Integradas de Blumenau (Inarti), Maria Teresinha Heimann, pela diretora de Cultura da Fundação Cultural de Blumenau (FCBlu), Mariana Girardi, pela responsável técnica do festival, Katia Cristina Gabriel, e pelos três convidados especiais, responsáveis pela análise dos espetáculos e que também formaram a comissão julgadora da Mostra Regional, Humberto Braga, Lauro Góes e Pepe Sedrez.

Entre os dias 3 e 10 de maio, cerca de 15 mil pessoas prestigiaram os espetáculos do Fenatib. A novidade neste ano foi a abertura de um espaço para a apresentação de trabalhos produzidos por alunos do ensino médio e escolas de teatro da região. Três grupos locais participaram da iniciativa com a apresentação dos espetáculos Ozônio & Clássicos do Teatro, Fritz Müller no Vale das descobertas e Rosas Vs Cravos.

O Fenatib é organizado pelo Inarti e FCBlu com a finalidade de difundir o teatro nacional, promover intercâmbio entre artistas, escolas e o público, e levar espetáculos aos educandários, praças e demais salas de teatro. O festival tem patrocínio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cidadania e a realização é do Inarti e Fundação Cultural. A entrada é gratuita em todas as apresentações.


Marcelo Martins / Fenatib

A premiação

Melhor Espetáculo: Rosas Vs Cravos, com Grupo A Crista

Menção Honrosa: Cia. Macadame, com Teatro de Formas Animadas, por Fritz Müller no Vale das Descobertas

Troféu Especial do Júri pela Dramaturgia: Amanda Milene Mucke e Gabriele Rezende, por Rosas Vs Cravos do Grupo A Crista

Ator Revelação: Guilherme Eccel, por Ozônio e Clássicos do Teatro do Grupo Arteatroz

Atriz Revelação: Maria Clara Holstein Fonseca Seara da Costa, em Ozônio e Clássicos do Teatro do Grupo Arteatroz

Melhor Direção: Tábata Aparecida Reis, com a peça Rosas Vs Cravos do Grupo A Crista

Os participantes

Espetáculo: Ozônio & Clássicos do Teatro

Autoria: Coletiva

Direção: Giba de Oliveira

Faixa etária: a partir de 10 anos

Duração do espetáculo: 40 minutos

Sinopse: O espetáculo tem no elenco os alunos do Curso de Teatro ministrado pela Companhia Arteatroz e é dividido em 02(duas) partes:

“Ozônio” – Trata-se de uma comédia de ficção onde um grupo de teatro é contratado para representar um roteiro escrito por um diretor mal intencionado no qual narra os primeiros contatos dos colonos imigrantes com a cidade de Blumenau, de acordo com o historiador Ivan Klaus, um completo lunático. Com a turma de alunos do curso de teatro das quartas feiras vespertino; e “Clássicos do Teatro” – A peça mostra 04(quatro) cenas de textos considerados clássicos do teatro, são elas: “Romeu e Julieta” e “MacBeth”, de William Shakespeare; “Esperando Godot”, de Samuel Becket; e “Pluft – O Fantasminha”, de Maria Clara Machado. Com os alunos do curso de teatro de quintas feiras noturno.

Espetáculo: Fritz Müller no Vale das descobertas

Autoria e direção: Priscila Gilinski e Rafael Leandro

Faixa etária: Livre

Duração do espetáculo: 18 minutos

Sinopse: O Espetáculo conta a história de amizade do naturalista e pesquisador Fritz Müller e o índio Xokleng Lino. Vivem uma aventura na floresta em busca de uma borboleta rara e contam com a ajuda da serelepe capivara Piva, com participação do vaga-lume e do Sr. Caranguejo.

Espetáculo: Rosas Vs Cravos

Autoria: Adaptação de texto Amanda e Gabriele

Direção: Tábata Aparecida Reis

Faixa etária: a partir de 15 anos

Duração do espetáculo: 10 minutos

Sinopse: Helena presa por intolerância religiosa, é a protagonista de uma história narrada por Tereza, uma das presidiárias responsável pela limpeza das áreas comuns do presídio. Tereza envolvida com a condição e a história de Helena sente-se na obrigação de ajudá-la em meio aquele regime militar. O drama ilustra uma partícula sobre a oposição e resistência ao regime militar do Brasil da década de 1960.

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>